Notícias
Semana de prevenção alerta para cuidados contra o câncer de boca


A Semana Nacional de Prevenção do Câncer Bucal ocorre todo início de novembro desde 2015. O objetivo é estimular ações para conscientizar a população sobre o problema. A OMS (Organização Mundial da Saúde) estima que a prevenção pode ajudar a reduzir a incidência de câncer em até 25% até 2025.

Segundo o INCA (Instituto Nacional do Câncer), se detectado no início, o câncer tem boca tem cura. Os principais fatores de risco são o fumo e o consumo excessivo de bebidas alcoólicas. Já os sinais mais evidentes de alerta para esse câncer são feridas nos lábios e na boca que não cicatrizam por mais de 15 dias, manchas ou placas vermelhas ou esbranquiçadas na boca e sangramentos sem causa conhecida em qualquer região da cavidade oral. O médico deve sempre ser procurado.

O câncer da boca (também conhecido como câncer de lábio ou de cavidade oral) é um tumor maligno que afeta lábios, estruturas da boca, como gengivas, bochechas, céu da boca, língua (principalmente as bordas) e a região embaixo da língua. É mais comum em homens acima dos 40 anos, sendo o quarto tumor mais frequente no sexo masculino, na região Sudeste. A maioria dos casos é diagnosticada em estágios avançados.

A parte posterior da língua, as amígdalas e o palato fibroso fazem parte da região chamada orofaringe e seus tumores têm comportamento diferente do câncer de cavidade oral.

Sinais e sintomas:

- lesões (feridas) na cavidade oral ou nos lábios, que não cicatrizam por mais de 15 dias, que podem apresentar sangramentos e estejam crescendo

- manchas/placas vermelhas ou esbranquiçadas na língua, gengivas, céu da boca ou bochechas

- nódulos (caroços) no pescoço

- rouquidão persistente.

Nos casos mais avançados, observa-se:

- dificuldade de mastigar e de engolir

- dificuldade na fala

- sensação de que há algo preso na garganta

- dificuldade para movimentar a língua.

Fatores que aumentam o risco do câncer de boca:

- exposição ao sol sem proteção representa risco importante para o câncer de lábios

- excesso de gordura corporal aumenta o risco de câncer de boca

- exposição a vários produtos tóxicos está associada ao desenvolvimento de câncer de boca

- infecção pelo vírus HPV está relacionada a alguns casos de câncer de orofaringe

- tabagismo: quem fuma tem risco muito maior de desenvolver câncer de boca e de faringe do que não fumantes. Quanto maior o número de cigarros fumados, maior o risco de câncer.

Tratamento:

Na maioria das vezes o tratamento é cirúrgico, tanto para lesões menores, com cirurgias mais simples, como para tumores maiores. A cirurgia consiste na retirada da área afetada pelo tumor, associada à remoção dos linfonodos do pescoço e algum tipo de reconstrução, quando necessário. Em lesões mais simples, muitas vezes é necessário apenas retirar a lesão, já em casos mais complexos, além do tratamento cirúrgico, é preciso realizar radioterapia para complementar o tratamento e obter melhor resultado curativo. Em todas as etapas do tratamento é importante a participação de vários profissionais de saúde, visando a prevenir complicações e sequelas.

Prevenção:

- não fumar

- evitar o consumo de bebidas alcoólicas

- ter alimentação rica em frutas, verduras e legumes

- manter boa higiene bucal

- usar preservativo (camisinha) na prática do sexo oral

- prestar atenção a mudanças na coloração ou no aspecto da boca.

Fontes: Inca e Ministério da Saúde



Central de atendimento (11) 4185-7600 | Fale conosco - SAU (11) 4185-7693
Hospital Geral de Carapicuíba | Rua da Pedreira, 95
Parque José Alexandre - Carapicuíba/SP